1857

Prefeitura Municipal de Santa Inês

Pular para o conteúdo

Dinovale lança nova marca e fortalece  imagem da Cidade dos Dinossauros

Fonte: Ascom Prefeitura de Santa Inês
15/02/2021 às 08h54

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


_A Cidade dos Dinossauros (Santa Inês), fica situada no Vale do Jiquiriçá,  e garante a moradores e visitantes uma experiência única._

Quem chega à cidade de Santa Inês (BA) se depara com um Jurassic Park Baiano, com tamanho real, os dinossauros espalhados por toda a cidade proporcionam aos moradores e visitantes uma experiência mesozóica que marca a memória e o coração. Crianças, adultos e idosos vivem um momento de descontração, interatividade e conhecimento arqueológico importante para o estudo da história.

Observando a importância do projeto para o município, a Prefeitura de Santa Inês decidiu inovar ainda mais e garantir que o “DinoVale”, como é chamado, seja reconhecido não só pela sua beleza, mas também por seu emblema, e  assim destacou a identidade desta iniciativa que gira em torno da educação, cultura, entretenimento e turismo.

A nova marca da Cidade dos Dinossauros retrata o portal de entrada da Santa Inês, inspirado no longa metragem Jurassic Park, o cartão postal faz referência a produção de Steven Spielberg até mesmo na fonte e tonalidades utilizadas em seu letreiro. A sombra dos dinossauros adornam toda a circunferência do layout, demonstrando a força, habilidade  e maestria dos animais que chegam a ter 18 metros de altura.

Comum na Cidade dos Dinossauros, a árvore Ypê e a palmeira também compõem a imagem. Na ilustração, o pôr do sol que costuma ser admirado por todos os santineenses, aparece em tons de amarelo que dão vida e movimento à marca.

*Sobre o Dinovale*

Há quatro anos, réplicas em tamanho real de animais pré-históricos nacionais ganharam vida na cidade de Santa Inês, que fica a 298km de Salvador, no Vale do Jiquiriça. As réplicas produzidas em tamanho real pelo artista Anilson Borges fazem parte do projeto “Dinovale”, que foi idealizado pela Prefeitura com o objetivo de fomentar o turismo e a economia, além de proporcionar ensinamento histórico a crianças, jovens e adultos de todas as idades.

O projeto destaca o  Pycnonemossauro (Abelissauridae) de 8,5 metros, carnívoro que viveu no Centro-Oeste do Brasil há 70 milhões de anos, no período Cretáceo.O famoso Challengeri (Spinosauridae), dinossauro de porte médio do período Cretáceo inferior, há 110 milhões de anos, na Chapada do Araripe (CE) ou o Pterossauro Tropeognathus, também ganharam espaço nas cenas montadas nas praças da cidade. Porém, estas não são as únicas especies expostas na cidade.

É importante salientar que o parque é a céu aberto e permeia toda Santa Inês. Em cada obra há informações de como viviam, do que se alimentavam, qual o período de vida entre outras.

Para dar mais realidade às cenas, o paleoartista Anilson Borges, projeta “cenas reais” de quando os dinossauros habitavam a terra. Anteriormente, Borges atuava como  técnico administrativo na Secretaria de Saúde de Santa Inês, foi depois realocado para a Secretaria de Cultura e, atualmente, se dedica somente ao que mais gosta de fazer: os dinossauros!

A maior peça produzida pelo paleolista possui 18m e fica situada na entrada da cidade.

*Novidades*

No primeiro dia do ano de 2021, a Prefeitura de Santa Inês, representada pelo prefeito Professor Emerson, deu início às obras do Museu dos Dinossauros. O espaço que deve ficar completamente pronto em 2023, será erguido com recursos próprios da Prefeitura e irá dispor também de um Centro de Convenções que atenderá tanto a cidade, quanto os municípios próximos. 

No museu, serão dispostas réplicas de dinossauros que complementam os cenários já dispostos pela cidade, além de oferecer anfiteatro e demais espaços destinados à educação, à cultura e ao lazer.

Professor Emerson acredita que a educação é o principal pilar para o avanço da Cidade dos Dinossauros e aposta em projetos e políticas públicas para transformar a realidade da cidade e de seus moradores. “O museu é uma obra grande. Dois anos! É um condicionante para cultura, educação… para todas as áreas do município. Foi um compromisso assumido e está sendo cumprido”, garantiu o professor.